A Cultura de Okinawa

   

Okinawa é uma província localizada ao sul do Japão, de clima tropical (que varia de 20 a 35º C, durante todo o ano, bem diferente das demais regiões japonesas), circundada por extensos recifes de corais. Ela é conhecida por sua cultura única e exótica, resultado de uma fusão de várias influências de países vizinhos, como a China, Mongólia, Filipinas, Coréia e outros países do Sudeste Asiático.

         Além de suas belezas naturais e povo acolhedor, Okinawa também é conhecida por um dos maiores índices de longevidade do mundo. Há várias razões para isso: clima, alimentação saudável, estilo de vida, espiritualidade, exercícios, forte laços sociais e familiares, entre outros.

         A ilha também possui uma cultura peculiar em relação às demais províncias japonesas, pois até meados do século XVI era um reino independente com língua e costumes próprios.

         A província de Okinawa é composta pelas ilhas de Okinawa, Miyako, Yaeyama e pequenas ilhas.

         Segundo dados, sua área total é de 2.225 km e sua população é de mais de 1 milhão e duzentos mil habitantes (dados de 1990), dos quais ¼ da população reside na capital da província, no município de Naha.

A arte em Okinawa

         A música, dança, tecelagem, cerâmica, instrumentos musicais, são os principais movimentos artísticos que se destacam na província, que por mais de 600 anos foi um reino independente, formando assim uma região de influência cultural própria, mas com bastante influência de outras regiões da Ásia, por situar-se no centro de tudo.

            Música: tem como elemento principal o Sanshin (é composto de uma caixa, revestida com de couro de cobra, possui três cordas e um braço), além de outros instrumentos típicos como o Koto (tipo de harpa), Taiko (tambores), Paranku (tamboretes), Sanba (espécie intrumento de percussão) e o Fue (flauta).

         Quanto aos estilos de músicas, podemos citar em 3 grupos: as clássicas, as folclóricas e as populares.

         Entre as populares destacamos o Katchashii (músicas que misturam alegria com um ritmo bastante acelerado) e também o Eisá, dança típica com tambores, evocando os espíritos dos antepassados para participarem da festa.

         Danças: a dança de Okinawa, também sofre forte influência do estilo chinês, coreano e japonês. Seus trajes (quimonos) são bastante peculiares de acordo com o estilo de música.

         Danças e músicas eram apresentadas aos nobres visitantes vindos da China. O curioso é que somente os homens faziam este tipo de apresentação, as mulheres não eram apresentadas para não despertar cobiça dos estrangeiros.

         Karatê: No período do século XIV, as armas foram confiscadas  dos samurais e senhores feudais.

         Por causa da proibição das armas, os guerreiros foram obrigados a desenvolver a técnica de luta e defesa, como o karatê (que significa mãos vazias).

        Introduzido em meados de 1898 como esporte em todas as escolas de Okinawa e doze anos mais tarde, difundiu-se para outras províncias.

         Tecelagem: uma das principais fontes de renda, que teve papel importante na economia da província. Quase todas as mulheres tinham o conhecimento de tecelagem que eram divididas em Bashofu (feito com fibras de bananeira), Kasuri (tecido tingido com pigmentos de plantas com desenhos geométricos), Jofu (tecido nobre, usados pela realeza).

Curiosidades:

            - No Brasil cerca de 10% dos descendentes dos imigrantes japoneses são de Okinawa, ou seja 150.000 descendentes.        

- A Associação Okinawa Kenjin do Brasil agrega 44 subsedes em todo o país,sendo que a sua sede social está localizada no bairro da Liberdade.

- Dos 781 primeiros imigrantes japoneses que vieram no navio Kasato Maru em 1908, quase metade (376) eram de Okinawa.

 

Copyright © 2017 Jornal Utiná Press

  Site Map